09/01/2013

4-4-1 ( TVI24 ) e Taça Da Liga


O "4-4-1", programa da estação TVI 24, é só mais um dos vários programas de debate futebolístico em que o Benfica não tem representante. É para mim uma desilusão ver o degradante desespero de Mozer para arranjar tacho em Portugal. E não é de hoje; já dura há demasiadas semanas. Mas mais culpado é quem o meteu lá para fingirem que têm alguém do Benfica.

Sobre o nosso jogo de hoje a contar para a Taça Da Liga, dizer apenas que o Benfica fez o suficiente para ganhar com tranquilidade e que a Académica marcou dois golos nos dois únicos remates que fez em noventa minutos. Bem estiveram Lima e André Gomes. Kardec e Salvio entraram com gás. Jardel e Luisinho estavam com vontade de inventar.

BENFICA SEMPRE!!

6 comentários:

Pedro Simões disse...

Sinceramente vi hoje o final do programa e esteve bem ao comparar um atropelo ao Gaitan no jogo com olhanense em que por lá disseram que não era penalti e o de hoje marcado a favor do Porto em que eles já diziam ser penalti. Sozinho contra 4 ou 5 marmanjos Mozer foi denunciando a dualidade na análise aos lances polémicos.

Mas não vi o inicio do programa. Não sei se meteu por lá água. O que sei é que se ele faz mais umas "entradas" daquelas ao Pedro Henriques e o lembra do que ele diz nas semanas anteriores não o vão lá deixar ficar muito tempo

GRÃO VASCO disse...

Glorioso Encarnado Berrante,

Discordo totalmente.
O Mozer, por aquilo que tenho visto, pois por vezes tenho de mudar de canal, dado que está lá um FDP de outros tempos, que deixa aquele rastilho fedorento da pocilga antiga - o Gargalhadas, aquele que dizia à boca cheia quando era adjunto no grémio da fruta corrupção & putêdo que o Benfica ao marcar um golo era uma gargalhada geral neste país...- tem-se portado muito bem e ontem esteve à altura dos acontecimentos. Mesmo na situação do Nolito (que continua a ter muito pouca cabeça) falou com inteligência e pelo que vejo não faz as figuras tristes que outros fazem em programas semelhantes.
O Mozer é do Benfica, mesmo quando esteve no Marselha e se tiveres oportunidade, lê a história entre ele e o Papin, quando o Marselha cá veio jogar uma meia-final da Taça dos Campeões Europeus e que ficou pelo caminho com aquele golo mágico de Vata.

Desta vez não tens razão para esta crítica tão acerba.

Cmpts. Gloriosos
GV

Jotas disse...

Antes de comentar o post, peço desculpa pela ausência, mas algum cansaço momentâneo, e algo farto do comportamento sistematicamente ofensivo or parte de alguns bloggers para com o próprio clube e suas gentes, fez com que tivesse um tempo afastado destas lides.
Uma vitória difícil mas justa, num jogo que também serviu para dar minutos e ritmo jogadores que por um motivo ou outro, há muito que têm andado arredados da competição, casos de Aimar, Carlos Martins e Roderick, por isso naturalmente, a rotina e a intensidade deste 11 não pode ser igual ao 11 habitual.

Berrante De Encarnado disse...

Caro GRÃO VASCO,

Ontem de facto ele esteve, vá, menos mal. De qualquer modo isto era para ter sido escrito há mais tempo, e só não o foi porque a minha disponibilidade para Blogues e Mails tem sido escassa.

O que posso escrever com toda a certeza, é que este Mozer não é o mesmo que em tempos participava com toda a frontalidade e Benfiquismo nos "Donos Da Bola", quando lá era chamado. Contudo, respeito a sua opinião. Sempre a considerar, meu caro.

Cumprimentos Benfiquistas a todos

Observador disse...

Deixei de falar de programas televisivos que descredibilizam a televisão e o desporto, neste caso o futebol.
E como não existe nenhum sério, desisti.

Do que não desisto é do Benfica.
Há pouca coisa para dizer sobre o jogo.
Não há fora de jogo no golo de Lima. Esteve bem o auxiliar de Manuel Mota.
A mediocridade ontem confirmada de Bruno César necessita ser reavaliada.

Cumprimentos benfiquistas.

Anónimo disse...

https://www.facebook.com/#!/groups/130613446951225/?fref=ts

passem lá e partilhem, o autor está a precisar de companheiros que se queiram juntar à luta contra a corrupção.

Façam-no pelo Benfica e ajudem a acabar com a batota no futebol portugues.