29/05/2011

Basquete e Andebol - Muito a dissipar

Vitória do Basquetebol contra (literalmente) todas as adversidades. Alma, coração, resignação e um Ben Reed inspirado na hora das decisões, foram os factores mais relevantes que nos levaram ao triunfo. Ganhámos os três jogos em casa, repondo sempre o empate na final. Está-nos a faltar uma vitória fora, ainda temos uma última oportunidade. Agarrem-na!

Apetece-me perguntar: O que se passa com Miguel Minhava? Não mete um tiro exterior e comete erros que revelam nervosismo a mais. Com Minhava assim, não percebo porque Tavares e Carreira não jogam mais tempo, já que parecem estar ambos com a mão "mais quente". Não sou fã de equipas que abusam dos lançamentos longos - rouba beleza ao jogo -, mas a diferença nos triplos entre o Bi-Campeão e um rival não pode ser, nem de perto nem de longe, tão grande. A rever. A nossa percentagem da linha de lances-livres hoje foi baixíssima, acredito que tenha sido um problema psicológico. E por falar em psicológico: Depois de ver os jogos desta final em nossa casa, e os das finais que conquistámos este ano em campo neutro, parece-me óbvio que sofremos de um problema psicológico quando jogamos no Porto. Não sei se é pela pressão do publico, ou pelo facto de este ano ainda não termos ganho lá. O que sei é que os nossos jogadores têm de se lembrar que SOMOS O BENFICA! Venha quem vier, façam o barulho que fizerem, não vamos deixar de ser.

A arbitragem no quarto período foi nojenta. Durante todo o jogo os critérios foram iguais para os dois lados, mas no último tempo foram notórias as intenções dos apitadores. Deixou de haver faltas para o adversário, podiam desarmar e atacar atropelando quem quisessem. Greg Stempin, à beira da exclusão, faz uma falta ofensiva do mais claro que pode existir no Basquete, e... Nada. Do outro lado, Minhava leva uma "chapada" no braço quando vai a lançar, e... Nada. Já nós ficámos tapados com a quarta falta muito rapidamente, algumas delas assinaladas de forma duvidosa. Espero que aquilo que se passou hoje no quarto período não seja uma antevisão do que vai acontecer no último e decisivo encontro.

O Andebol conquistou hoje a terceira prova da época. Vitória na final da Taça De Portugal, frente a um Madeira SAD que se bateu sempre bem, mas que no final acabou por ceder perante a maior valia e determinação dos nossos jogadores. A conquista de mais esta taça vem provar que o Benfica tinha equipa para ser campeão, não teve foi plantel para todas as provas.

Como sempre, Carlos Carneiro esteve em destaque. Candeias, quando foi chamado à baliza, disse "presente", tendo mesmo sido um dos que catapultaram a equipa para a vitória na parte final do jogo. Parabéns a todos, boas férias, e que voltem com vontade de fazer ainda melhor para o ano.

BENFICA SEMPRE!!

3 comentários:

Tiago disse...

mais um título passados 20 e tal anos! já são vários deste género nos últimos anos (por exemplo taça CERS e juvenis de futebol) que confirmam que o clube está melhor e que esta a voltar aos bons velhos tempos!

numa altura em que o LFV tem sido tão criticado, foram os protagonistas desta vitória que o elogiaram por acreditar nesta modalidade assim como o tem feito com o resto!

no Basket pelo menos estão a ser bastante competentes. falta agora alguma estrelinha! boa sorte campeões!

Anónimo disse...

GERAÇÃO BENFICA DEIXA DE SER ANÓNIMO AGORA É ...
www.sakanagem69.blogspot.com

Observador disse...

Há competência no basquetebol benfiquista, há equipa mas há, neste caso, um FC Porto que também quer ganhar.
Falta uma partida?
Vamos ganhá-la.

No andebol, 24 anos depois, o Benfica ganha.
Não concordo com o Berrante De Encarnado na análise que faz à equipa.
Começando por José António Silva, o técnico teórico, e seguindo para alguns jogadores, tenho que dizer que muitas vezes a indisciplina de Carlos Carneiro, Rui Silva e João Lopes quase deitava muita coisa a perder.

Se a época é longa, e é, onde esteve o planeamento para isso?
Não se percebe a razão pela qual o Benfica termina a época de rastos fisicamente.

Um dos jogadores que ontem estiveram em plano de destaque, Ricardo Candeias, ofereceu uma prenda a si próprio. Era aniversariante.