15/04/2011

Felicidade, erros, rectificação e apreensão


Noite feliz para os benfiquistas. Dezassete anos depois o Benfica está numa meia-final europeia, o que confirma uma subida do clube nos últimos anos. Aos poucos o Glorioso vai-se reencontrando com a sua história.

Errámos na primeira parte, embora tenhamos sido quem dispôs das primeiras oportunidades. Contrariamente ao que a incompetente comunicação social disse (com o Schalke04 assim foi), o PSV é mais equipa do que, por exemplo, o Moscovo. São mais agressivos, mais rápidos, têm melhor condição física, marcam mais golos e lutam por títulos. Com uma vantagem de 3 golos na eliminatória e a jogar em casa de uma equipa com estas características, não era de todo desejável que fosse o Benfica a oferecer espaços para o contra-ataque rapidíssimo do adversário. Juntando isso ás perdas de bola desnecessárias em jogadas individuais, poderá estar encontrada a explicação para o susto. O fabuloso golo de Luisão em cima do intervalo, foi o melhor que nos podia ter acontecido.

Rectificámos na segunda metade. Ainda na primeira parte, depois do segundo golo sofrido, a equipa pareceu encarar a realidade de forma mais consciente, não permitindo tantos espaços. Confirmou-o na segunda parte. Fizemos um segundo tempo bem mais tranquilo e condizente com as nossas características e as do PSV. Empatámos justamente o jogo e daí até final não passámos por sobressaltos de maior.

Continuo apreensivo com a forma, algo inconsciente diria, como o Benfica se expõe aos contra-ataques dos adversários. Isso nota-se mais contra equipas rápidas, este ano tivemos vários exemplos. Sabemos que o Benfica tem que jogar sempre para ganhar, mas é preciso não perder a noção da realidade. Quem tem Luisão, Jardel e Javi Garcia como jogadores a quem são entregues as tarefas mais defensivas, não pode jogar como o Benfica o faz contra todas as equipas. Os desequilíbrios são cada vez mais visíveis e perigosos. É preciso o tal plano B, urgente, seja ele através de um novo sistema, ou da rectificação da forma como os jogadores interpretam o actual. Temos que ser uma equipa mais equilibrada.

Os Mais: César Peixoto fez um grande jogo, o seu a seu dono. Sempre que o critiquei, tive o cuidado de dizer que ele tem várias qualidades, a técnica e a experiência são duas delas. É pena os seus níveis físicos serem tão baixos. Os centrais estiveram bem, especialmente na segunda parte.
Os Menos: Alguns erros infantis dos nossos defesas na primeira parte, mas todos eles subiram a olhos vistos na segunda. Não tenho muito mais a apontar.

De Futuro: Descansar nas provas da mentira e mentalizar os jogadores para as GUERRAS, sim guerras, que vamos ter na Europa e finais internas. Todos sabemos que não são jogos, são batalhas, é bom que os nossos tenham essa noção. É assim que os respectivos adversários e seus adeptos nos têm encarado, nós só temos que responder na mesma moeda.

BENFICA SEMPRE!!

13 comentários:

Berrante De Encarnado disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Berrante De Encarnado disse...

Azar dos azares, FODA-SE!!!

Parece que a época acabou para Salvio. É sem duvida a pior notícia da noite e talvez até dos últimos tempos. Este miúdo tem sido fundamental na ala direita. Estou com uma raiva ao jogador holandês que o lesionou que nem vos conto. Para mim era lance para vermelho directo.

Vai ser complicado arranjar uma solução que ofereça dinâmica naquela posição. Talvez esta seja a altura certa para Jorge Jesus mudar de táctica.

BENFICA SEMPRE!!

Cumprimentos

Anselmo Damásio disse...

Tivemos azar de perder o Salvio. Depois de cometermos erros infantis como ja tinhamos feito nos jogos da liga dos campeões, tivemos a sorte do nosso lado. Bastou o Luisão marcar um golo à Saviola para o jogo mudar para o nosso lado.

SAUDAÇÕES GLORIOSAS

Anónimo disse...

Boas,

Sem dúvida que o Salvio vai nos fazer muita falta, mas também acho que assim vamos ter mais segurança defensiva jogando com mais um elemento a ajudar o Xavi a fechar o meio campo e soltando o Gaitan e já vimos por várias vezes para os jogos dificeis não podemos jogar tão abertos.

Cumprimentos
João Rei

Tiago disse...

não sei bem porquê mas o Benfica ressentiu-se e desconcentrou-se com a lesão do salvio.

mas, o JJ tem de explicar aos jogadores que nem sempre se pode dominar mas que se tem de ter sempre o jogo dominado. saviola e cardozo entre outros não perceberam que tinham de ajudar a defender na segunda metade da 1ª parte.

tb o JJ foi surpreendido porque não previu o sistema de jogo do PSV com apenas um avançado centro e isso fez a diferença. isso e o jogo mais desinspirado do maxi que por falta de concentração colocou o lens em jogo no 1º golo.

mas a equipa soube reagir com personalidade. ma neste momento estou apreensivo para sabe qual a solução do JJ para a ausência do salvio e se é desta que o substituto vai agarrar o lugar, já que este ano as segundas linhas quaser não têm corresondido

mWo disse...

A 180 minutos do primeiro sonho caro Berrante! O outro é em Dublin: erguer o caneco!

AbraÇo e SaudaÇões Benfiquistas!

GuachosVermelhos disse...

Seguem-se os bácoros de Braga...
Atenção aos exageros e euforias desnecessárias! Uma equipa que já esta época eliminou o Sevilha, o Liverpool e agora o Dínamo de Kiev que antes tinha passado o Manchester City, tendo pelo caminho vencido o Arsenal de Londres, não pode ser encarada com animo leve..OK?

Observador disse...

Eliminatória ultrapassada, defeitos e virtudes que se repetem, tácticas a corrigir urgentemente.

Nada está assegurado para nenhumas das equipas nas meias finais.
E se o Benfica tem que se acautelar com o Sp. Braga, não é menos verdade o contrário.
Tal como o FCP não deve contar com o ovo nu cu da galinha. Porque o Villareal não é fácil.

ad.eternum SLB disse...

A equipa no seu conjunto soube dar a volta por cima. Claro que há sempre alguém que sobressai,mas prefiro enaltecer o conjunto.

http://adeternumslb1904.blogspot.com/2011/04/objectivo-cumprido.html

Saudações Benfiquistas

Manuel disse...

Níveis físicos baixos do César Peixoto? Então ele jogou o tempo todo com a mesma intensidade! Até à direita foi jogar.

Que não gostem dele é uma coisa, agora negar as evidências que os olhos viram é que não!

Berrante De Encarnado disse...

Manuel,

Eu até gosto do Peixoto, ao contrário do que possa parecer. Acho que ele sabe jogar à bola. Mas sou da opinião que o Benfica, se quer ser um Benfica ganhador e europeu de champions League, precisa de jogadores que de forma constante sejam competitivos.

Quando falo nos índices físicos do César, não o digo por não gostar dele, baseio-me sim nos muitos jogos que vi dele este ano pelo nosso clube. Sejamos honestos, infelizmente para ele e para nós, o homem arrastou-se e foi inconsequente em muitos deles.

Se o Peixoto tivesse muitas vezes durante a época o rendimento, quer físico, quer técnico, que mostrou ontem, de certeza que só o elogiava. Sou Benfica.

Dito isto, nunca assobiei e nunca o farei.

BENFICA SEMPRE!!

Cumprimentos

Manuel disse...

Berrante, estamos a falar e a discutir APENAS o jogo com o PSV. De repente pões-te a falar de outros jogos. O que interessam esses jogos agora?

Muitas vezes as exibições dos jogadores têm mais a ver com a táctica colocada em jogo do que com outras coisas. A verdade é que nos jogos que contam, e falo dos jogos contra os andrades, ele jogou sempre bem.

Berrante De Encarnado disse...

Manuel,

Não foi "de repente", foi sim para me justificar perante a legitima questão que me puseste.

Abraço e BENFICA SEMPRE!!