04/02/2013

Três é o número


Três pontos e três golos. Que mais pode um adepto exigir? É certo que a nossa exibição foi um pouco descolorida, mas a competência voltou a estar presente. Enquanto assim for, que se lixem os caprichos. Até porque se há coisa que com certeza não irá faltar ao Benfica de Jesus no futuro, são grandes exibições ao virar das esquinas.

Enzo, à falta de Matic, foi o motor da equipa -- e que motor. Para Lima já não há palavras; além dos muitos e belos golos que vai marcando, está com um sentido colectivo fenomenal. Garay é classe.

BENFICA SEMPRE!!

2 comentários:

Observador disse...

Numa altura em que a condição física e a gestão do plantel são coisas fundamentais, podemos dispensar, sem sobranceria, o artístico.
A nossa equipa está a ser eficaz. Tem personalidade. Vence e convence.
Jorge Jesus está a ser, ao contrário do que chegou a deixar transparecer, um técnico inteligente.

O nosso Benfica continua em quatro frentes: campeonato da Liga, Liga Europa, Taça de Portugal e Taça da Liga. Exigir mais? Como? Só se pudéssemos ter ficado na Liga dos Campeões.

No encontro de ontem, veio ao de cima a classe reinante na Luz.
Enzo Pérez é um grande jogador, cedo demonstrou ter capacidades. Ontem marcou um grande golo e um enorme jogo.
Como vem sendo habitual é também o atleta que mais pancada leve.

Lima tem o faro pelo golo e a baliza nos olhos.

Garay? Por algum motivo está a ser cobiçado pelo MU.

Cumprimentos benfiquistas

Anónimo disse...

Ora vamos lá ver se nos entendemos.
O maior de Portugal (o que tem mais títulos) ganhou 4-0.
A gripe das aves (galinhas encornadas) está a chegar. É o último terço do campeonato. O catedrático da gramática já rebentou a equipa. É o costume.
Não digo 20 pontos. Mas a 12 pontitos do TRICAMPEÂO é certeza.
Carrega PORTO