25/02/2013

Gás, qualidade e inteligência


As previsões de uns e preocupações de outros quanto à nossa condição física frente ao Paços, afinal não tinham grande razão de ser. Entrámos fortes e fortes terminámos, dominando quase sempre o jogo durante os noventa minutos, fruto também da forma inteligente como controlámos os ritmos, fazendo uma posse de bola com qualidade. Não terá sido a mais pujante e artística exibição da época, mas tendo em conta a qualidade que este Paços vem mostrando e o facto de termos jogado a meio da semana com o Leverkusen, pareceu-me uma muito boa jogatana. De lamentar apenas a actuação desastrada de Lusinho.

Salvio, seguido do já inevitável Matic, foram para mim os melhores. Ola John esteve excelente no passe. Gostei das entradas de Martins e Aimar. Os centrais estiveram em bom plano, em especial Garay que fez um jogo absolutamente soberbo, com e sem bola.

BENFICA SEMPRE!!

1 comentário:

Observador disse...

Nesta altura não se peça ao Benfica uma atitude artística.
Se aparecer será bem vinda mas, em abono da realidade, a gestão é prioritária.

Sem 'espinhas' esta vitória.
Carlos Martins e Pablo Aimar contrariaram o que já se dizia deles.
Matic ... dizer o quê? Sempre bem.
Ola John, aquela máquina liberiana de jogar bom e simples futebol.
Garay é um senhor.
Salvio imprescindível.

O golo foi, erradamente, atribuido a Salvio. Foi Lima que marcou. Quando cabeceia, Luis Carlos sacudiu a bola quando esta já havia ultrapassado por completo a linha de baliza.
João Capela assim não entendeu, o que não é grave.
E sabe-se que os golos são atribuidos pela Liga, de acordo com o relatório do árbitro.

Braga espera-nos. Dentro de instantes.

Cumprimentos benfiquistas.