01/04/2012

Mais Que Justa


Quando sofremos aquele empate, poucas deviam ser as cabeças que não
pensaram o mesmo que a minha: "tudo nos acontece".

Depois do nosso golo da vitória, tenho certeza que todos os Benfiquistas pensaram o mesmo que eu: "foi feita justiça".

Escrevi que não gostava de ver determinadas coisas neste jogo: a nossa equipa fez-me a vontade em relação a algumas; noutras nem tanto apesar do esforço e tentativas. De todas destaco a forma séria, confiante e sem grandes tremideiras como entrámos no jogo, pegando-lhe bem pelos colarinhos desde cedo. O jogo foi, aliás, quase sempre de sentido único, com o Benfica a dominar e o Braga à espera das nossas perdas de bola para contra-atacar. Embora sem grandes oportunidades na primeira parte, gostei da maneira como íamos trocando a bola, dando a sensação de que o perigo podia surgir a qualquer altura. É verdade que quase consentimos golo ao ataque rápido do adversário por uma ou duas vezes,
e se mantenho que há muito a melhorar no sentido de evitarmos tais momentos, acho que no geral e tendo em conta o estilo do Braga, estivemos razoavelmente bem. Foi uma pena - e muito perigosa - aquela infelicidade do jovem Miguel Vítor, jogador que até estava a fazer uma exibição positiva. Foi uma vitória difícil, suada e que por momentos pareceu fugir-nos de vez, mas não tenho dúvidas de que foi justíssima. Tinha muito mais a escrever sobre o jogo, o Capdevila, o Miguel Vítor, o Gaitán ou o Jesus, mas como era muita coisa e a noite já vai longa e um tanto ou quanto pesada, fica para próxima, possivelmente logo, ou amanhã.

Individualmente gostei de Witsel, Bruno César, Javi, Rodrigo e Gaitán, estes últimos muito a espaços. Acho também que Nelson Oliveira, sem ter dado nas vistas, trouxe outra dinâmica ao nosso ataque. Notas para Cardozo e Jesus: foi o típico "mau jogo de Tacuara", porém amanhã continuará a ser Tacuara. Sei que companheiros meus vão malhar em Jesus pela "bazófia" deste em relação à troca de posição de Gaitán, no último golo. Eu também não gosto e acho perfeitamente evitável, mas convenhamos, depois de tanta porrada que Jesus levou por tudo o que aconteceu ao Benfica nos últimos tempos, inclusive por uma substituição de um jogador que nunca faz noventa minutos, é compreensível que chame a si algum mérito.

BENFICA SEMPRE!!

1 comentário:

Observador disse...

Ninguém é perfeito.
Nem jogadores nem técnicos.

Quanto ao jogo, perfilho a ideia de que este foi um grande jogo de futebol.

Benfica e Braga mereceram-se e estiveram à altura do que se esperava.

O árbitro João Ferreira fez, para não destoar, uma boa arbitragem.

O saldo positivo para o nosso Benfica é inteiramente merecido.