29/01/2012

Batalha no ringue


Não gosto muito de criticar o futebol do Benfica quando apanhamos adversários que lutam noventa minutos com intensidade. Acredito que para levarmos a melhor neste jogos difíceis, em campos chatos, a melhor arma é lutar tanto ou mais que o oponente, mesmo que para isso tenha de se jogar aqui e ali feio.

Apesar de ter sido um jogo mais com coração e pulmão do que com cabeça e arte, tivemos oportunidades claras de golo em número suficiente para uma vitória tranquila. Assim não aconteceu; estava destinado a ser uma batalha até final. É certo que podíamos ter feito melhor em determinadas alturas, tanto a atacar como a defender, contudo ninguém duvide que a tarefa seria sempre complicada. Quanto à entrega e união da equipa, nada há a apontar. Vitória difícil, justa e importantíssima.

Percebo a ideia de Jesus meter Rodrigo na ala direita. O miúdo tem de facto algumas características que, com tempo e rotinas, pode permitir-lhe fazer nessa posição aquilo que Hulk faz no porto, quando vem de fora para dentro em diagonais na procura de espaço para o remate. Parece-me no entanto que devemos deixar o miúdo evoluir na sua posição. Hoje queimámos 45 minutos sem extremo direito com rotinas, e isso notou-se.

Individualmente: Tinha vontade de meter todos pela entrega ao jogo, porém destaco Rodrigo, que fez mais um grande jogo; os dois centrais, pela segurança que deram lá atrás; e a entrada de Nolito que, muito ou pouco, a verdade é que mexe sempre com o jogo.

BENFICA SEMPRE!!

2 comentários:

Manuel Oliveira disse...

Vitória do querer e 3 pontos importantíssimos!

Abraço.

Observador disse...

Com maior ou menor dificuldade, mais três pontos.

Do outro lado está sempre uma equipa, seja ela qual fôr.
E todas elas querem sempre fazer o melhor, 'dar o litro', contra o Benfica.

De resto, dizer que o Feirense esteve bem.