27/11/2011

Derby, Aimar e Arbitragem


Começo já por aquilo que, não sendo o mais importante, é algo que até chegar aqui não me saiu da cabeça: Pablito Aimar é uma dádiva de Deus ao futebol, e quanto mais velho parece que melhor. Espero que o Benfica renove o seu contrato, pois Aimar tem demasiado futebol nos pés e cabeça para ser dado como acabado nos próximos dois a três anos.

Mais uma grande e importante vitória do nosso Benfica. Depois do excelente resultado em Old Trafford, principalmente depois do que corremos nesse jogo, pedia-se coração e força suplementar à nossa equipa para este Derby afim de conseguirmos a vitória, fosse ela bonita ou feia. Foi o que fizemos. Logo após o jogo em Inglaterra tive a percepção que este encontro seria difícil, e foi. Não fiquei surpreendido, já esperava uma tentativa por parte do adversário de se impor fisicamente desde o inicio. Mas o Benfica respondeu bem, nem sempre da melhor forma, nem sempre com a frescura desejável, mas sempre com cabeça e muita luta. Nos períodos de maior esclarecimento o Benfica mostrava ser a equipa mais talentosa, embora o adversário tudo tenha feito para tentar ganhar, o que só valoriza ainda mais este triunfo. Alguns sobressaltos defensivos poderiam ter sido evitados, nomeadamente em bolas pelo ar nas costas dos nossos centrais, contudo esta análise é condicionada pelo facto de não termos contado com Luisão. Admirável foi a concentração e entreajuda dos nossos jogadores depois da equipa ficar reduzida a dez elementos, esforço esse que fez com que o adversário só tenha criado perigo com balões para a nossa área. Pelo segundo jogo consecutivo apetece-me deixar os parabéns à equipa, treinadores e adeptos, porque acho que os merecem depois de dois encontros em que com maior ou menor brilhantismo fizeram o que tinham de fazer: Parabéns a todos.
O primeiro clássico em nossa casa já está, passámos com três pontos.

Quanto à arbitragem: Aos 60 minutos Cardozo vê um vermelho por ter agredido... A relva, num momento de frustração perfeitamente normal que nem sei se poderá chamar-se de um protesto. Foi uma autêntica facada no coração do Benfica, à qual este sobreviveu com galhardia e união. Já André Santos, pelo lado da Lagartagem, viu o que seria um vermelho acertado ser-lhe perdoado. Até Aimar viu um amarelo por ter levado uma cabeçada de Insua, imagine-se. E no meio de tudo isto eles ainda queriam um penalti milagroso daqueles que acontecem ás dezenas em todos os jogos, mas que só são marcados pelo Benquerença a favor dos Andrades.

Individualmente: Aimar é grande, é imenso, tem estilo, sabe estar, sabe falar, e joga tanto, mas tanto. Maxi Pereira foi uma autêntica carraça em cima de Capel, à excepção de um lance não o largou. Gaitán esteve muito bem, podia ter feito o que se costuma chamar de golo de sonho. Witsel e Javi também estiveram ambos em bom plano. E o que dizer de Artur? A minha única frustração neste jogo foi ver aquele lance em que Cardozo parte a defesa do sporting não ter acabado em golo, embora as culpas tenham que ser atribuídas a Rui Patrício. Seria outro golo de sonho.

BENFICA SEMPRE!!

1 comentário:

Observador disse...

Pouco mais há a acrescentar ao que foi dito pelo Berrante De Encarnado.

Aumentámos de 1 para 4 os pontos que nos separam dos vizinhos da quinta ao lado.
Importante.

A arbitragem de João Capela foi pouco menos que desastrosa. Podemos, apenas como exemplo, comparar o vermelho (acumulação de amarelos) mostrado ao Cardozo - presumivelmente por ter dado um murro na relva - com os vários gestos de protesto puro ensaiados por Capel que passaram em branco.

Enfim, contra ventos e marés, apesar de defeitos próprios, lá vamos na frente.

Saudações benfiquistas.