24/09/2011

Empate e Adeptos


Ponto prévio: Não é estar a querer dar uma de moralista, até porque também tenho tendência para a autocrítica fácil quando as coisas correm mal - este espaço é prova disso -, mas tenho de meter cá para fora.

Há adeptos ( não é dirigido a ninguém da blogosfera ) que das duas, uma: ou estão no gozo e no dia seguinte dizem que não passou de brincadeira, ou então vivem num planeta onde não existe noção da realidade. Todo o adepto apaixonado, seja ele de que clube for, tem dentro de si as suas doses de irracionalidade e bazófia. Quem disser o contrário, ou está a mentir, ou não é de facto apaixonado. Mas há alturas em que ser-se sincero e realista impõe-se, e não é só para ficar bem, é para evoluirmos. Achar que fizemos um mau jogo no Dragão, que o resultado foi mau, ou que devíamos estar todos cabisbaixos no final, já é algo mais do que simples irracionalidade. Houve erros nos 90 minutos? Houve. Na primeira parte defendemos e tentámos jogar no erro do adversário? Claro que sim, qual é o escândalo? Lembram-se dos golos na goleada do ano passado? Seria melhor abrir aqueles espaços de novo no inicio da partida, contra um rival ainda fresco, a jogar em casa, e que apesar de empurrado com faltinhas de treta, não são propriamente uns troncos que estão a ser empurrados? Não! Não dominámos os 90 minutos, e depois? Que venha o primeiro dizer-me, honestamente, que estava à espera de só ver o Benfica jogar.

Não foi a noite mais inspirada em termos atacantes, mas defensivamente estivemos bem na maior parte do tempo. Mesmo a correr atrás do prejuízo, com as linhas mais subidas, a equipa manteve sempre algum equilibro, facto que registo com agrado. Falhámos nas bolas paradas e no lance em que Fucile aparece isolado, tirando isso conseguimos limitar os Andrades a remates de meia distância e livres forçados para o Húlque. Quanto à entrega dos nossos jogadores, nada há a apontar. Senti a equipa nervosa em determinados momentos, mas outros houve em que vi um Benfica maduro, sério, inteligente, e com vontade de lutar. Senti, acima de tudo, que a equipa cresceu com este jogo.

Individualmente: Nolito para mim foi o homem do jogo, bem melhor do que Húlques e Cia. Emerson, no meio dos calafrios lá vai mostrando uma força de vontade contagiante. Cardozo merece destaque, porque fez (só) mais um golo, porque gosto dele, e porque sim. Gaitán esteve no melhor e no pior, mas os seus pormenores de luxo e completamente desequilibradores, fizeram-se notar.

BENFICA SEMPRE!!

6 comentários:

David Gonçalves disse...

Assim se fala; Já agora, creio que é muito lúcido o comentário

VeRMeLHoVZKy disse...

Jogamos muito bem. Eles tiveram 3 oportunidades marcaram 2. O mesmo que nós.

O resultado é bom e o jogo também foi bastante bem conseguido. Pena as falhas nas bolas paradas.

Carlos Alberto disse...

Amigo Berrante,

Esses adeptos de que falas (também não estou a citar ninguém em particular lol) estão como o mesmo sentimento do Oliveiredo que mandou o seu Jumento do Sul vulgo João Marcelino escrever na primeira página que o resultado só foi bom para o Braga e Sporting dando a ideia que tinha sido mau para o Porto e para o Benfica em igual grau.

Como é que dizia mesmo o Diego Armando... pois, "... que continuen chupando" ehehehe

Abraço

Jotas disse...

Em relação a essa blogoesfera que referes, disse o seguinte e penso que muito do que dizes se resume ao que escrevi:"Antes de falar sobre o jogo em si, quero dizer que Jorge Jesus calou os psicóticos da crítica, estou certo, que caso o Benfica não tivesse chegado ao empate, o treinador estaria agora a ser alvo das mais variadas críticas e teorias por parte desses psicóticos, ou porque tirou o Nolito em vez de tirar um outro jogador, ou porque meteu Saviola fora de forma, etc, etc, os quais no alto da sua enorme sabedoria, seriam com toda a certeza, campeões só com triunfos e certamente todos eles robustos, apetece mesmo questionar, que com tantos grandes treinadores por aí perdidos, como pode o Benfica estar tanto tempo sem ganhar títulos?
Da mesma forma, querer reduzir o facto do Benfica ter chegado ao 2 a 2, às saídas de Guarin e Kléber é perfeitamente redutor, porque com eles em campo também o Benfica esteve empatado e com eles em campo, já o Benfica dominava e mostrava capacidade para pelo menos empatar.
Concluindo este assunto, julgo que está na hora de alguns mestres da táctica, perceberem que nós, simples adeptos, temos uma visão do jogo demasiado simplista, sem conseguir fazer leituras tácticas e de enquadramento do próprio jogo, que obviamente, pelas aptidões adquiridas, os treinadores conseguem, hoje correu bem, dias há que as coisas não saem como o treinador as percebeu, nada mais normal, porque no fundo, o que ganha jogos, é a dinâmica, a atitude e a confiança dos jogadores nos vários momentos do jogo.
Com isto, não estou a querer dizer que Jorge Jesus é perfeito ou não erra, claro que erra, como todos, mas para mim é um grande treinador e neste momento, não há nada que justifique a sua não continuidade como alguns pedem, seria um erro tremendo com consequências imprivisiveis."
Falando do jogo,destacar tal como fez o nosso treinador, o modo como decorreu o jogo, foi de facto um exemplo, todos os clássicos e derbys fossem assim e era lindo.
Julgo que o empate é o resultado mais justo, sendo de destacar a capacidade e a força anímica que a equipa teve para recuperar de 2 vezes a desvantagem no marcador, algo que pode significar uma injecção de confiança tremenda.
Espero que o desempenho do Benfica, impulsione de nova a onda vermelha, ela que tão forte e decisiva foi no ano do título.
Julgo que pelo menos ficou uma certeza, estamos mais fortes e podemos não vir a ser campeões, mas caso nos deixem, temos todas as condições para discutir o título.
Desculpa o comentário longo, mas tal como tu tive necessidade de desbafar contra a bazófia de alguns.

Observador disse...

O Benfica fez um jogo útil.

Menos bem na primeira parte, bem na segunda, chega-se a um patamar altamente positivo.
O empate obtido no Dragão é o que é vale o que vale.

Com este andamento e com a equipa a subir psiquicamente de jogo para jogo, temos Benfica ... à Benfica.

O que os jornaleiros dizem não me aquece nem me arrefece.
São uns acéfalos.
Uns morrem outros ficam assim.

Anselmo Damasio disse...

Foi um bom resultado, mas senti-me um pouco frustrado porque na 2ª parte com um pouco mais de coragem teríamos ganho o jogo. Acho que o JJ teve medo de perder e não arriscou mais um pouquinho para ganhar o jogo naquele quarto hora final da partida.
SAUDAÇÕES GLORIOSAS

P.S.: Depois de rever mais uma vez as imagens, que até me admira não estarem escondidas. Estou à espera do processo sumarissimo contra o boneco animado revestido a amarelinha pela tentativa de agressão ao Maxi.