20/07/2011

Esperança


Não foi uma exibição brilhante, mas no geral acho que foi um bom ensaio para dia 27. Embora longe de estar tudo bem, confesso que fiquei com alguma esperança. Melhorámos significativamente nos processos defensivos. Essa era, aliás, uma das expectativas que eu tinha para este jogo, já que no ataque parece haver boas soluções para desequilibrar. É verdade que não jogámos contra um Barcelona, mas esta equipa francesa era muito aguerrida, rápida na troca de bola, e tudo tentou para estragar-nos a festa. Vitória justíssima, mas resultado claramente escasso para o que a equipa produziu.

Enzo Pérez: Começa aos poucos a mostrar o porquê de o Benfica ter pago 5M por ele. Quem tem estado atento ás críticas que tenho feito a Enzo, certamente também terá testemunhado frases como esta: "parece ter alguma coisa dentro dele, mas esperava mais". A verdade é que hoje já mostrou o tal "mais". Que assim continue. Acho que Urreta tem mais capacidade para desequilibrar em determinados momentos, mas em abono da verdade diga-se: Enzo é mais maduro e inteligente a jogar. Contudo, penso que o uruguaio deve ficar.

Emerson e Garay: A entrada do Brasileiro no onze talvez tenha sido um dos factores que trouxe mais consistência ao sector defensivo. Foi apenas o primeiro jogo, mas penso que ninguém terá dúvidas em concordar que é bem melhor do que Fábio Faria naquela posição. Perdeu duas bolas de forma infantil na segunda parte, mas para estreia teve sinal mais. A rever. O argentino Garay mostrou aquilo que é: Calmo, inteligente e, acima de tudo, experiente. Merecia um golo.

De Nolito só tenho a dizer isto: Não estou a ver como este jogador, pela sua qualidade e competitividade, poderá não ser titular. Uma boa altura para repensar o sistema táctico e tentar encaixar as estrelas nele.

Bruno César: Infelizmente parece confirmar aquilo que venho dizendo dele após o jogo com os amadores. Talvez um golo ou dois do seu forte pé esquerdo possam mudar as coisas. Bem precisa.

Matic: Está a ser uma das mais agradáveis surpresas desta pré-época. Continue ele com esta vontade, e certamente terá um belo futuro.

Tinha mais a escrever sobre outros jogadores, mas não vale a pena arrastar o testamento. Acho que todos já percebemos quais os que têm e os que não têm lugar no plantel.

BENFICA SEMPRE!!

3 comentários:

Tiago disse...

E de repente parece que podemos ter uma defesa com 5 jogadores de selecção: Eduardo, Maxi, Luisão, Garay e Capdevila. Realmente seria fantástico. Principalmente porque a segunda linha também oferece bastante confiança.

O meio campo e o ataque é o que precisa de menos mudanças imediatas, até para manter o entrosamento do ano passado. Neste sentido, as boas indicações do Enzo são importantíssimas porque é ele que está mais próximo para ser titular na direita.

Tenho gostado muito do Enzo. É um jogador que já sabe apoiar defensivamente, ao contrário do Salvio no seu inicio no Benfica.

E é um jogador que não sendo exuberante e que as vezes parece meio escondido do jogo, consegue descobrir espaços e fazer movimentos de ruptura de enorme qualidade.

Estou confiante que temos plantel para lutar por todas as competições. Que a estrelinha nos acompanhe.

Berrante De Encarnado disse...

Tiago,

No geral subscrevo o teu comentário, mas confesso que só hoje gostei do Enzo.

Em contrapartida, posso dizer que gostei MUITO!

Mas atenção, já tinha escrito que ele tinha lá dentro qualquer coisa, mas ainda não tinha mostrado. Hoje mostrou e espero que mostre ainda mais.

Quando à defesa: No final do jogo fiquei com um sentimento de esperança. E isso é bom. Vamos lá ver.

BENFICA SEMPRE!!

Cumprimentos

Jotas disse...

Na minha opinião, viu-se que o Benfica tem de facto bons valores individuais, mas ainda está algo distante de ter uma equipa.
Nota-se ainda, um certo distanciamento e desconfiança dos adeptos em relação à equipa, longe de se formar uma grande empatia, a tal onda que ainda num passado recente nos conduziu a grandes momentos de felicidade.
Julgo até que há alguma injustiça na desconfiança que também existe para com o treinador, responsável por um futebol a que já assistimos na Luz, de qualidade e magia ímpar e que há muito andou arredada da Luz, no mínimo ele merece o benefício da dúvida.
Mas o futebol é isto mesmo, memória curta, em que a distância entre a besta e o bestial, entre a decepção e a euforia, está normalmente a um pequeno passo de distância.