06/05/2011

Este, ao entrar no balneário...


... Aposto que deu uns valentes pontapés de revolta em tudo o que lhe apareceu à frente.

Ao seu lado deviam estar muitos colegas cabisbaixos, resignados, aceitando o mau momento como se esse fosse um procedimento normal para um atleta que enverga o manto sagrado.

Desde o jogo com a Lagartagem para a Taça Da Liga em nossa casa, Fábio parece-me ser um jogador sozinho no sentido de enfrentar os desafios com o sentimento de revolta. Nesse jogo Fábio ficou furioso quando viu apenas 3 minutos de compensação dados pelo árbitro, ele queria 4 ou 5. Isto diz tudo. Mas era o único...

Já se percebeu que Jesus é um treinador extremista, à velha moda dos treinadores de leste. Jesus exige perfeição, concentração e esforço a um nível que só jogadores como o Fábio superam. Os mais fracos tremem, falham, e quando os fracos são em grande número, até jogadores como o miúdo de Caxinas acabam por ser contagiados, como alias se tem visto em jogos recentes.

Sinceramente, acho que há poucos - reforço poucos - jogadores no actual plantel capazes de acompanhar este andamento e equilíbrio exigidos pelo treinador o ano inteiro, os resultados estão à vista. Fábio, neste momento, se não for o único anda lá perto. O ano passado havia mais um, chama-se Ramires e fazia essa diferença sem se notar. Não foi substituído, até porque o Benfica não tinha a responsabilidade de se reencontrar com a sua história.

BENFICA SEMPRE!!

2 comentários:

Manuel Oliveira disse...

Coentrão não merecia esta eliminação!
Para além dele só Maxi, Luisão e Javi lutam até ao fim.

Abraço.

Observador disse...

É deste tipo de jogadores que o Benfica precisa.