09/03/2011

Mesquita Machado e recado à RTPNojo


As declarações de Mesquita Machado, depois da vergonha de Braga, são uma copia das frases ditas por elementos afectos aos andrades depois do Benfica ter sido recebido de forma perturbante com toneladas de pedras e bolas de Golf no Ladrão. É preciso dizer mais alguma coisa?

O que mais vai ser preciso para quem tem a responsabilidade de tutelar o desporto, reparar em quem gosta e cultiva este clima de terror no futebol? Quando formos nós benfiquistas a fazê-lo em força, vão actuar?

RTPNojo

O moderador do programa Três Contra Um, da RTPNojo, já passou os limites. A RTP, televisão publica, que reveja com muita atenção os programas, particularmente nas alturas em que esse moço decide promover-se a elemento do painel de comentadores. Continuem com esse tendenciosismo asqueroso.

Ainda na RTPNojo: Hoje foi um fartote de risos, gozos e boa disposição. Quero agradecer-vos do fundo do coração pelo serviço que me prestaram. Vai-me saber ainda melhor, quando vos voltar a ver todos com umas trombas parecidas ás que tinham depois do 0-2 no Ladrão com menos um. Tudo a seu tempo.

Cada vez mais orgulho em ser Benfica

BENFICA SEMPRE!!

2 comentários:

Observador disse...

António-Pedro Vasconcelos (Benfica), Miguel Guedes (Porto) e Rui Oliveira e Costa (Sporting), formam o painel do "Trio d´Ataque".
Com excepção de A-PV, estamos na presença de frustrados.
O pseudo moderador Hugo Gilberto é incompetente e é ... um homem do norte.

Anónimo disse...

para esse javardo mosquito da camara de braga a 33 ou 34 anos tenho aqui o seu rol de roubos ....

Património: Quinta do Salgueiro foi negócio lucrativo

Finanças e IGAT recusaram investigação
São muitas as explicações para as falhas grosseiras na investigação ao património de Mesquita Machado, desencadeada no início de 2000 e terminada em Outubro do ano passado com um arquivamento. Um dos motivos invocados pelo Ministério Público para não ser possível estabelecer o nexo de causalidade entre o enriquecimento e qualquer facto ilícito é a falta de colaboração de outras entidades. A Inspecção-Geral de Finanças afirmou que não tinha meios para analisar a informação recolhida relativamente ao presidente da Câmara de Braga, enquanto a Inspecção-Geral da Administração do Território recusou a colaboração por não ter competência para investigar ilícitos criminais.


PORMENORES

DOIS MILHÕES E MEIO

A PJ apurou dois milhões e meio de depósitos bancários nas contas de Mesquita Machado, da sua mulher e dos seus filhos, durante os oito anos de investigação. Rendimentos declarados não ultrapassavam milhão e meio.

PRENDAS AVULTADAS

Há vários casos de depósitos em cheque nas contas de familiares de Mesquita Machado que partiram de empresários bracarenses. Dois deles, Domingos Névoa e António Salvador, afirmaram ser uma prenda de casamento.

vergonhoso pais onde estes porcos enchem-se a nossa custa ...

mais, numa assembleia este javardo do mosquita a certa altura [ quem faz o tunel quem não faz ] disse o grunho se não for a brita lar nimguem faz nada ....


um ditador de meia tigela mas com muitos euros na venezuela ..