14/03/2011

1 - 1, erros que se aceitam

Chegado o fim do jogo, fica no ar a sensação de que o resultado acaba por ser normal. Alguns erros no onze inicial, uns mais justificados, outros menos, ajudam a explicar este desfecho. Sejamos realistas, este campeonato já há muito que estava entregue e todos concordávamos que a equipa precisava de descanso para encarar as restantes provas com mais fulgor, mas quando se joga com atletas como Luís Filipe entre outros, arrisca-se a perder ou empatar qualquer jogo da primeira Liga, seja contra que adversário for. Erros normais e aceitáveis, que se traduzem num resultado normal.


O primeiro erro foi jogar com Luís Filipe, ainda por cima contra jogadores rápidos como Candeias e com a nossa equipa a jogar com as linhas subidas. Ou jogávamos com Airton e metíamos outro jogador no meio (Peixoto por exemplo), ou jogávamos com um júnior no seu lugar. Luís Filipe não tem condições. César Peixoto foi outro erro, mas este foi a dobrar. Jara devia ter sido o escolhido para extremo-esquerdo, entrando Weldon para segundo avançado, o que como já referi permitia passar Peixoto para o meio. Mal por mal, Peixoto já mostrou que rende mais no meio do que nas alas, seja a defender ou atacar. Passá-lo para lateral-esquerdo e tirar Lionel Carole da partida, foi o erro a dobrar. Salvio e Gaitán no banco era perfeitamente justificável, mas há que dizer que no fim acaba por suar a erro. Para jogarem 45 minutos, mais valia jogarem de inicio e entrar a toda a força, descansando no segundo tempo, faria todo o sentido. A falta de Cardozo, quer se goste quer não, também se fez notar. Quanto ao jogo em si, acho que foi notório para quem o viu a gigante falta de entrosamento entre o vários jogadores do Benfica, em alguns casos a bola queimava. Com as entradas de Salvio, mas principalmente de Gaitán, a equipa melhorou e dentro das suas possibilidades tudo tentou para dar a volta ao marcador, apesar de no seu todo se ter mostrado algo incapaz de o fazer. Um empate que acaba por não deixar marcas, quer psicológicas quer físicas, num jogo que podia ter sido gerido de outra forma, apesar de admitir que as alterações possam eventualmente ser benéficas no futuro.

Os Mais: Roderick Miranda (foi pena o penalti, fez um jogo bem aceitável), Jara (sempre batalhador, apesar de alguns lances mal definidos), Nuno Gomes (fez golo) e Lionel Carole, que apesar de não ter feito nada de extraordinário, mostrou que tem potencial.
Os Menos: Filipe Menezes (demasiado agarrado à bola), Kardec (inconsequente) e Luís Filipe, que para além da falta de qualidade, mostra que não tem grandes condições físicas, um pouco à imagem do que acontece com Peixoto nas alas.

Futuro: Concentração e disponibilidade máxima nas outras provas, o campeonato já há muito estava destinado, o resto é quase só para cumprir calendário, já que para perder o segundo lugar seria preciso uma catástrofe.

BENFICA SEMPRE!!

3 comentários:

Jotas disse...

Estou em perfeita sintonia com as opções tomadas por Jorge Jesus, em relação à revolução apresentada no onze que entrou ontem em campo, o Benfica não poderia correr qualquer risco de comprometer o apuramento na Liga Europa, por caprichos numa liga inquinada, que está decidida desde o seu início.
Este jogo e este resultado, não me causaram surpresa de maior e muito menos preocupação, nem sequer vou catalogar a categoria dos jogadores, porque julgo que todos deveriam perceber que por muita qualidade que alguns jogadores possam ter, o futebol é além de tudo um futebol colectivo feito de rotinas de jogo e obviamente foram notórias mais que qualquer coisa, a natural ausência dessas rotinas, com reflexos óbvios na exibição.
O Benfica está centrado e muito bem, nas provas em que depende de si para vencer, se o conseguir será uma grande temporada a todos os níveis.
Também tenho a consciência que muitos daqueles que pediam a cabeça do treinador no princípio da época vão ressuscitar com a leveza de raciocínio do costume, os mesmos que o veneraram de novo num ciclo de vitórias sucessivas, mas esses eu até entendo, agem com o coração e isso tolda sempre o raciocínio enfim, é o papel de adepto em que também eu caio algumas vezes, é normal, apenas lamento a falta de coerência.

Observador disse...

Se considerarmos o óbvio e compreendermos que JJ já tinha desistido do título, é admissível tamanha "revolução".
Fazer descansar toda a equipa habitual é, nesta perspectiva, um gesto sensato.
A partir daqui, terá que se compreender que os atletas escalados para o onze inicial - acusaram falta de entrosamento.
Para além disso, pode dizer-se mais do ponto de vista individual. O falado Luís Filipe não serve, não presta. Carole tem "bola" nos pés mas é novo e fez a estreia absoluta. Kardec perdeu-se. César Peixoto continua a ser o "patinho feio" e há motivos para isso.
E, muito sinceramente, não compreendo como Nuno Gomes continua a ser esquecido por JJ.
Ficar no "banco" quando se aposta numa equipa de segunda escolha?
Não mereceria o Nuno a titularidade?
Desta vez, a meu ver, JJ esteve mal ou, na melhor das hipóteses, não esteve bem.

Não era "este" Benfica que carlos Azenha esperava defrontar.

Nem é "este" Benfica que queremos ver, como que a arrastar-se, nos relvados.

Gerir é uma coisa e JJ é que sabe o que tem e em que condições mas, inegavelmente ontem houve erros de palmatória.

Vams lá até Paris, fazer um bom jogo e passar a eliminatória.

Miguel disse...

Pessoal, no próximo jogo SLB - fcp vamos gritar do princípio ao fim Corruptos. Espalhem a palavra e que chegue aos NN e DV, eles ao começarem, toda a gente os acompanha. Eles viam 65.000 a gritar CORRUPTOS e os responsáveis pelo desporto veriam que nem todos são cegos e que pode ser um fenómeno tipo Geração à rasca. Facebook e todos os canais possíveis!!!