12/02/2012

Bonito e seguro


Acabei de chegar a casa e comecei a escrever sem antes ver a repetição do penálti, isto porque quero dar-vos uma perspectiva de quem viu no estádio. A assobiadela foi geral e monumental, pois todos na Luz ficaram com a sensação
de que tinha sido mais uma decisão, no mínimo, muito forçada. Fez-me lembrar um penálti que este Sr. assinalou contra o Benfica, em Guimarães, há uns bons seis ou sete anos atrás. Não sei se o de ontem foi ou não, irei ver de seguida, mas sei que Jorge Sousa nunca assinalaria um penálti daqueles no estádio do seu clube. Ai não assinalaria, não.

Quanto ao jogo: Gostei do que vi na maior parte do tempo. Comandados pela magia de Aimar e protegidos pela segurança de Luisão e de um intransponível
Garay, tivemos momentos artísticos misturados com outros de descompressão e gestão de esforços. Aquela de meter Witsel a defesa-direito não lembraria a ninguém, mas quando as coisas correm bem até opções como esta passam. Assim que o belga passou para o meio-campo, começou logo a dar cartas. Foi mais uma vitória justíssima do Benfica, em goleada que acaba por ser escassa para tantas oportunidades.

Individualmente gostei de Gaitán, Aimar, Garay (soberbo), Rodrigo, Nolito, Luisão
e Cardozo (pelo golo). Notas para Matic e Emerson: Bom jogo do sérvio, que na raça ganhou quase todas as bolas que haviam para ganhar, tanto pelo chão como pelo ar. Emerson, mais do que aprender, deve proteger-se das suas limitações e
não cair sempre no mesmo erro. Não é assim tão complicado.

BENFICA SEMPRE!!

5 comentários:

André Leal disse...

Em menos de dois dias já são quase 150 signatários:

http://www.peticaopublica.com/PeticaoVer.aspx?pi=SLBnaBTV

Berrante De Encarnado disse...

Força nisso, André.

Cumprimentos benfiquistas

André Leal disse...

Obrigado pela força e pela divulgação, Berrante!

Saudações Benfiquistas!

GuachosVermelhos disse...

Amigo,
Aquilo é um penaltie pintado de azul corrupto!

Observador disse...

Vitória com nota artística alta.

Witsel é um jogador enorme mas não se dá com aquela posição.
O que aconteceu foi a falta de opções credíveis. Veio à superfície a ideia de que na realidade, precisamos de mais um defesa direito.
André Almeida não tem estofo, ainda, e Miguel Vítor não estava fisicamente nas melhores condições.

Grande penalidade? Não, não existiu. Jorge Sousa inventou. O que não espanta.

Extraordinária a exibição de Ezequiel Garay. Ora garantindo a sua própria posição, ora ajudando Luisão que não me parece estar bem, ora indo mesmo ao lado esquerdo em socorro de Emerson. Para além do golo que marcou.

A magia de Pablo Aimar, o renascer de Nico Gaitán, Rodrigo que continua a crescer, a segurança de Nemanja Matić, o bom e o mau de Óscar Cardozo, a irrequietude de Manuel Agudo Durán (Nolito).
Enfim, difícil definir o MVP tantos foram os artistas de ontem.

E lá vamos até St. Petersburg onde nos espera um Zenit gelado.
Quarta feira às 17 horas de Portugal, poderá acontecer mais um êxito benfiquista.

Cumprimentos